O Dia da Mulher e o posicionamento das marcas

dia da mulher

Se há uma data que, cada vez mais, vem ganhando força e evidência, é o Dia da Mulher. Não que antes fosse irrelevante. Tsc tsc… A data existe há mais de um século e sempre foi “celebrada” – pra não dizer “explorada”.

Bem, mas já que eu disse, então vou concluir meu pensamento: por muitos anos o “8 de março” vem sendo usado e abusado comercialmente. Parabenizam a mulher simplesmente por “ser mulher”, vendendo flores, perfumes, bombons e afins, mas negligenciando o real – e importantíssimo – motivo da data.

Acontece que agora, com as redes sociais, o público ganhou voz e o Dia da Mulher vem tomando a forma e o conteúdo que remetem, enfim, ao seu real significado: o empoderamento e a luta por igualdade e direitos. E isso, meu caro, vai muito além das comemorações.

 

Untitled design (1)

Cuidado com o que posta

Não há como negar: hoje o feminismo é a temática mais evidente do Dia da Mulher. Nas redes sociais é, sem sombra de dúvida, o tópico mais citado.

E é nesse cenário que postar uma mensagem repleta de clichês, com enfoque em estereótipos femininos, esquecendo-se de um debate tão atual como o empoderamento, é dar um tiro no pé, como ocorreu ano passado com a homenagem feita pelo Sport Clube Internacional – o Inter , e com a Prefeitura de Porto Alegre e neste ano com a Saraiva, cuja promoção está sendo bombardeada na página. Usar esse tipo de comunicação ultrapassada gera polêmica e resultados negativos. Ou, na MELHOR das hipóteses, ninguém vai te notar.

#FicaDica As mensagens precisam ser pertinentes e criativas. Exaltar, enaltecer e apoiar a luta das mulheres. Fazer parte desta corrente. Formar opinião. Nesse sentido, algumas campanhas realizadas no Dia da Mulher do ano passado foram excepcionais e merecem ser destacadas.

É preciso ser coerente

Não adianta erguer a bandeira de uma causa que sua empresa não apóia na prática. É necessário ser honesto e agir segundo o que, de fato, defende. Lembre-se: nada que não seja verdadeiro se mantém (e o tiro pode sair pela culatra). Além disso, é ineficiente e até mesmo antiético promover sua marca usando movimentos sociais que não acredita. Então, em alguns casos, é melhor ficar calado.

Empodere a sua campanha

Indiscutível afirmar que investir em publicidade é importante. Mas hoje é preciso ir além e apostar em um trabalho profissional nas redes sociais, que conduza com estratégia, que tenha conhecimento do comportamento do consumidor e discernimento do seu posicionamento no mundo digital.

É bom frisar que precisa ser um profissional e não o “sobrinho esperto” de um amigo. Você pode até ter suas contas nas redes sociais alimentadas, mas terá bons resultados?

Portanto, todo cuidado é pouco. Lembre-se que as redes sociais são acompanhadas continuamente pelos usuários. Casos e crises é o que não faltam, ainda mais quando envolve a defesa de causas sociais importantes como o Dia da Mulher, o feminismo e sua mobilização.

 

Luciana Cecchini – Consultora de Comunicação, com experiência em comunicação corporativa e atendimento a cliente.

Leia Mais

Sua marca deixa os clientes “famosos”?

A melhor propaganda

Por Gustavo Ferreira*

Uma parte interessante das pessoas já assumiu e entendeu que outra parte interessante (quantitativamente falando) das pessoas responde positivamente e significativamente a estímulos ligados à exposição ou à fama.

O grande alvo (e que ainda não perdeu o reinado) é a televisão. Logicamente hoje temos a internet e mais especificamente o Youtube como grande rival, mas a TV ainda é o grande termômetro de sucesso para muitas pessoas. 

Leia Mais

Apenas mais um case de social media…

Vira e mexe é notícia em algum portal, blog ou afim um case sobre uma grande marca. Ora positivo e todos ficam babando na ação, ora negativo e todos estão a xingar muito no Twitter.

Há muitas empresas de olho nesses cases e querem reproduzir os mesmos resultados em suas contas. O que não é ruim, mas  às vezes não condiz com a própria realidade da marca.

Leia Mais

Quanto mais simples melhor!

Analistas, coordenadores, planners de social media, seja lá o nome que você der a quem represente nas redes sociais marcas (sejam elas pequenas ou grandes) são pessoas que devem ser preocupada com pessoas.

Nós temos como matéria-prima do nosso fazer pessoas, trabalhamos com elas e por elas. E pra isso precisamos entendê-las.

Nesse processo de aprender mais sobre gente, temos uma série de exigências, sejam nossas próprias, sejam externas, que nos levam a buscar alternativas de ações que promovam maior engajamento da audiência.

Leia Mais

Muito além da Social Media…

Ainda se fala que estamos engatinhando quando se fala em Social Media e eu tenho que concordar; mas acredito que vamos continuar a engatinhar mesmo daqui dez anos, isso se não “morrermos” antes de inanição ao continuar como estamos.

O que quero dizer com isso? Por que estou dizendo isso? Chega uma fase na vida de uma criança que ela deixa de tomar apenas leite, e outros alimentos são introduzidos na alimentação ainda que em forma de papinha. Passado algum tempo, ela se torna capaz de comer coisas mais sólidas (como uns bifes que vemos por aí..rs).  Mas se essas fases não acontecerem e a criança tomar só leite, ela morre.

Leia Mais
Página 1 de 612345...Última »