Home Office e BYOD – o trabalho do futuro?

Por Professor Luiz Angelo *

Aquele modelo tradicional de ambiente de trabalho está sofrendo profundas (e irreversíveis?) mudanças: mesa de trabalho, equipamento da empresa, escritório, horário e jornada a cumprir semanalmente, controle de ponto…

Primeiramente, vamos entender as variantes que fazem parte desta equação e que são, em grande parte, as responsáveis por estas mudanças significativas no ambiente de trabalho.

Home Office  

home office

 

 

 

 

 

 

 

 

O Home Office significa “escritório em casa” (tradução literal do termo em inglês), e abrange a realização e execução do trabalho comercial/empresarial fora do ambiente de trabalho. Impossível? Não, não é não!

Quando falamos no Home Office existem variações para aplicação e definição do termo, propriamente dito, alem do “escritório em casa”: trabalho em casa, escritórios virtuais, acesso à distância, cafés bar, hotéis, aeroportos, táxis, parques, praças e espaços públicos com wi-fi livre, entre outros, os quais as pessoas fazem uso para executar tarefas e atividades relacionadas ao seu trabalho. E devemos atentar que nem todas as tarefas e atividades do cotidiano de trabalho podem ser realizadas fora do ambiente de trabalho. Existem limitações. E assim, também existe a questão do funcionário/colaborador ter em sua casa, no ambiente doméstico, equipamentos, softwares e recursos que possibilitem que o mesmo possa executar seu trabalho e as ações relacionadas a ele, sem prejuízo para a qualidade do serviço e término da atividade.

O BYOD

Cada vez mais temos colaboradores, empregados e funcionários empenhados e engajados no seu trabalho, que querem acessar a rede corporativa da empresa com qualquer equipamento compatível. Hoje temos uma miscelânea de equipamentos que se conectam às redes de dados e comunicações: tablets, smartphones, laptops, e outros gadgets. A esta ação de uso de equipamentos pessoais em ambiente de trabalho dá-se o nome de BYOD – Bring Your Own Device – , traduzido livremente do inglês, significa “Traga Seu Próprio Aparelho”.

 

byod - responsivos na mao

 

 

 

 

 

 

As tecnologias envolvidas

Para ter esse suporte, as empresas estão tendo que investir em diversas tecnologias, oferecer recursos, prestar suporte e adquirir soluções (softwares) que atendam esta nova necessidade, em prol de maior eficiência na realização e execução do serviço por parte de seus colaboradores, diretos e indiretos. Dependendo do tamanho e perfil da empresa, diferentes soluções são empregadas, mas independente disto, as empresas devem estar preparadas para estas transformações, que estão impactando e causando profundas transformações na forma de trabalho, e essas mudanças estão se tornando cada vez maior, tendo um peso crescente na realização do trabalho no mundo moderno.

A rede wi-fi é hoje uma necessidade, em qualquer ambiente de trabalho, dos mais simples aos mais complexos. Colaboradores fazem uso do BYOD cada vez mais, sem mesmo perceber, e o empresário que não perceber isso, e não investir e nem incentivar podem ser passados para trás por seus concorrentes, pois perderão em eficiência: muitas tarefas e atividades simples do cotidiano, mesmo a comunicação no trabalho, estão cada vez mais sendo utilizadas com emprego de tecnologias pessoais.

Como solução corporativa (para empresas de grande porte e abrangência), temos as VPNs – Virtual Private Network – , ou Rede Virtual Privada, quer perfazem a ligação da empresa por meio virtual, pela Internet (rede mundial de computadores), criando “uma rede privada virtual, interconectada pela Internet, a rede pública mundial de computadores”.

Com esta gama de recursos (conexão internet comercial/empresarial, VPN, outros) faz-se necessário investir também em segurança: sistemas operacionais servidores de rede, que configuram e permitem o correto gerenciamento e acompanhamento das atividades realizadas em ambiente de rede/conectados. Estes servidores de rede oferecem inúmeros serviços (cada qual conforme seu tipo e recurso/funcionalidade disponível): desde gerenciamento de acesso e uso da Internet, segurança, níveis de acesso de usuários na rede, entre outros.

As responsabilidades e o raio de ação de funcionários e empresas

A grande dúvida que paira quando se fala de Home Office recai sobre a questão de que “não se trabalha direito” quando o local a executar as tarefas e atividades é fora do ambiente tradicional de trabalho.

Assim, vemos que o Home Office não depende somente do funcionário, mas muito mais na empresa, que além do incentivo, ainda tem que oferecer suporte e plataforma que de sustentação a gama de serviços e recursos relacionados com o Home Office e BYOD, que se trata de uma modalidade diferenciada de trabalho, séria, e que exige, de todos, o entendimento do correto uso e de sua aplicabilidade.

O que devemos frisar para os empresários e gestores que estes investimentos (e não custos!) para o Home Office e BYOD propiciam aumento de produtividade, redução de riscos (relacionados principalmente a segurança e vazamento de dados e informações, desde que seus funcionários sejam corretamente capacitados, e seus equipamentos, protegidos), e custos (sim, custos relacionados à manutenção, reposição de equipamentos, entre outros), desde que feita de forma planejada e organizada. Os departamentos/setores de TI (Tecnologia da Informação) devem receber o apoio devido, para que o Home Office e o BYOD sejam executados de maneira correta dentro de sua organização (empresa).

 

byod2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leitura complementar:

Home Office: nova tendência nos contact centers 

Site da Dell – Mobilidade

O que é VPN?

7 coisas que todo mundo precisa saber sobre Home Office

 

professor Luiz AngeloProfessor Luiz Angelo – Orientador de TCC, Professor Sistemas Operacionais, Hardware, Gestão de Projetos, Micro-InformáticaEscola Técnica Estadual – ETEC Centro Paula Souza
Unidades 145 Avaré (Etec Prof. Fausto Mazzola) e 072 Cerqueira César (Etec Pref. José Esteves) Centro Paula Souza!

Leia Mais

A era digital – As transformações que o digital trouxe para os negócios e o trabalho

Por Professor Luiz Angelo*

era digital

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os computadores vieram para ficar. A internet veio para ficar. O mobile veio para ficar.

Em diferentes épocas da evolução tecnológica, as afirmações acima foram feitas por aqueles que acreditavam em grandes mudanças no ambiente corporativo, mercado de trabalho e no dia a dia de negócios das empresas.

O tempo veio provar que cada qual, no seu tempo, previu corretamente. Os computadores revolucionaram a forma de armazenamento e processamento de dados, aumentando a eficácia na análise de grande quantidade de dados e informações, e diminuindo consideravelmente o tempo gasto na manipulação dessas informações.

A Internet revolucionou e agilizou o processo de comunicação e a troca de dados e informações em escala global. E nem vamos discutir os aspectos relacionados a vida pessoal e doméstica das pessoas (outra grande revolução).

“Estamos mudando a vida das pessoas e precisamos trabalhar para que elas sejam inseridas num mundo melhor”. Laercio Cosentino, CEO da Totvs

E o mobile, que vem sistematicamente invadindo o ambiente corporativo, alterando a forma de negociação, de realização de trabalhos e atividades ligadas ao comercial, mudando significativamente não só a comunicação, mas a relação profissional entre empregados e empregadores, entre funcionários e clientes.

Temos, assim, eficiência, eficácia e interatividade numa forma jamais imaginada anteriormente, graças a essa evolução tecnológica, desde a criação dos grandes computadores no século passado.

E não paramos. Ainda temos outros fatores a destacar neste processo evolutivo das tecnologias e seu impacto no mundo dos negócios.

Podemos, resumidamente, agrupar as plataformas de negócio do mundo “tecnológico” em três:

  • 1ª fase – Computadores/PCs: a primeira fase, que foi a responsável pela migração de negociações com uso de equipamentos para processamento e armazenamento de grandes quantidades de informação, propiciando negociações com um volume de informações bem superior ao geralmente estabelecido. Em evolução contínua, com relação a rapidez no processamento e capacidade de armazenamento, além da questão de segurança da informação, também em processo constante de evolução e melhoramento;
  • computador antigo

 

 

 

 

 

  • 2ª fase – Cloud (nuvem): com a criação da Internet  aliada aos equipamentos da etapa anterior, o mundo dos negócios teve a comunicação alçada em escala mundial, abrindo um novo patamar de negociações, e esta integração propiciou o embasamento e fundamento para o avanço de grandes corporações, em escala global e contínua, processo que ainda hoje  está em franca expansão;

    ioT

 

 

 

 

 

  • 3ª fase – Big Data: em fase inicial, descreve o imenso volume de dados estruturados e não estruturados que impactam os negócios no dia a dia. Mas, o importante não é a quantidade de dados, e sim o que as empresas fazem com os dados que realmente importam. Com este grande volume de dados disponíveis no ambiente web, algumas corporações já fazem, e outras farão, uso destes dados para gerenciar e tomar  decisões, que impactarão enormemente na gestão empresarial.

info grafico big data

 

 

 

 

 

Com o surgimento da tecnologia, e o início da Era Digital, temos a palavra transformação como imperativa no ambiente de negócios. A Era Digital, iniciada na 1ª fase e impulsionada na 2ª fase, chega agora a esta 3ª fase que vem, certamente, para mudar para sempre o mundo dos negócios.

“(…) a transformação digital permanecerá parte de todos os negócios, independente do segmento da empresa”. Laercio Cosentino, CEO da Totvs


As empresas que não se atentarem a esta revolução que o digital está causando, e em muito ainda irá causar, estão fadadas a perder mercado e até mesmo saírem da cena de negócios (ao menos, dos grandes negócios). Mas no que se deve investir?

era digital

 

A palavra de ordem para investimentos no mundo corporativo, e de negócios, hoje, são nas novas ferramentas de tecnologia como mobilidade (agilidade nos negócios e comunicação), negociações on-line na nuvem (cloud), redes sociais (interatividade com clientes e colaboradores) e o big data: investir em softwares para estruturação e catalogação de grandes massas de dados. Estes dados serão processados e com base na geração de informações, impactarão a análise e a tomada de decisões.

Mas não basta ter esta visão de investir nestas tecnologias,  será necessário também investir em infraestrutura, tanto física (equipamentos, computadores, conexão a Internet) quanto lógica (softwares, programas e ferramentas diversas). Somente com esse suporte haverá a possibilidade de aporte dessa grande massa de dados e recursos disponíveis, o surgimento de empresas especializadas que atuam neste segmento, e caberá às corporações saber distinguir as melhores prestadoras deste tipo de serviço.

“Quem quer se tornar digital tem de pensar em diversos pontos, como social, internet das coisas, mobilidade e ai vemos um meio de engajamento, para que as pessoas queiram compartilhar seus dados conosco e para interação (…)”. Luis Liguori, CTO da IBM.

O que as empresas ganham hoje com o investimento nestas tecnologias? Crescimento na participação de mercado, agilidade na oferta de seus produtos e serviços, e a melhor oferta para atrair clientes e demais interessados.

“(…) aqueles que entenderem o que é a transformação digital e mudarem junto, conseguirão melhores resultados ”. Luciano Corsini, CEO da Hewlett-Packard

Com um olhar no futuro, planejamento contínuo a médio e longo prazo, cabe aos gestores de hoje compreenderem o mercado atual ao qual as empresas estão em processo de inserção. O modelo tradicional de gestão está sofrendo mudanças impactantes, e quem não se adaptar, perderá mercado.

“Antigamente 95% era o índice maximo de satisfação que uma empresa conseguia atingir, porque os outros 5% era algo extremamente caro. Hoje isso não cabe mais. Se a companhia tiver 100 mil clientes e deixar 5 mil frustrados, o impacto em mídias, por exemplo, pode destruir a empresa”. Cyro Dehe, presidente da Oracle

Leituras complementares:

Revista IT Fórum, edição dezembro de 2015
Blog do Professor Luiz Angelo

 

professor Luiz Angelo* Professor Luiz Angelo – Orientador de TCC, Professor Sistemas Operacionais, Hardware, Gestão de Projetos, Micro-Informática
Escola Técnica Estadual – ETEC Centro Paula Souza
Unidades 145 Avaré (Etec Prof. Fausto Mazzola) e 072 Cerqueira César (Etec Pref. José Esteves) Centro Paula Souza!

 

Leia Mais

O que você tem a fazer pela sua carreira? Estudar

Por Guilherme Leite *

Luis Carlos Sá, Guilherme Caldas de Castro e Guilherme Leite 

 

Há algum tempo fiz uma especialização em Docência do Ensino Superior, neste ano vi saltar à minha frente a oportunidade de realizar um grande sonho: fazer o MBA em Marketing na FGV. Você sabe que a Fundação Getúlio Vargas é referência em educação e, além disso, é líder nacional nos cursos oferecidos. E eu, já trabalhando com Marketing há 11 anos, não me via fazendo outro curso.

Leia Mais

Quem contrata também está nas redes sociais

empresa redesPor Guilherme Leite * e Mariana Biork

Com a popularização da internet e dos smartphones, ao longo dos últimos anos, aumentou-se também o uso das redes sociais. Oportunidade de crescimento e negócios para marcas, gerando valores que até então não existiam.

Diversas mudanças significativas aconteceram ao longo desse tempo, inclusive no que diz respeito tanto ao processo de Recrutamento quanto ao de Seleção de candidatos a vagas. Antigamente, o primeiro, era feito basicamente por meio de jornais e outros canais específicos, agora, empresas especializadas em R&S, utilizam-se das redes sociais para agilizar a divulgação das vagas.

Leia Mais

Expectativas, batalhas e finalmente: UAU!

Por Gustavo Ferreira*

A EXPECTATIVA: o que muita gente espera é alguém/algo que faça suspirar e encante

Muitas vezes as ideias para seu negócio alavancar já estão na sua cabeça, mas você não sabe como viabilizá-las…

Essa é aquela hora em que você sonha que chegará um colaborador ou um fornecedor de cavalo branco e transformará os seus sonhos em realidade.

Leia Mais
Página 2 de 512345