O Dia da Mulher e o posicionamento das marcas

Se há uma data que, cada vez mais, vem ganhando força e evidência, é o Dia da Mulher. Não que antes fosse irrelevante. Tsc tsc… A data existe há mais de um século e sempre foi “celebrada” – pra não dizer “explorada”.

Bem, mas já que eu disse, então vou concluir meu pensamento: por muitos anos o “8 de março” vem sendo usado e abusado comercialmente. Parabenizam a mulher simplesmente por “ser mulher”, vendendo flores, perfumes, bombons e afins, mas negligenciando o real – e importantíssimo – motivo da data.

Acontece que agora, com as redes sociais, o público ganhou voz e o Dia da Mulher vem tomando a forma e o conteúdo que remetem, enfim, ao seu real significado: o empoderamento e a luta por igualdade e direitos. E isso, meu caro, vai muito além das comemorações.

 

Untitled design (1)

Cuidado com o que posta

Não há como negar: hoje o feminismo é a temática mais evidente do Dia da Mulher. Nas redes sociais é, sem sombra de dúvida, o tópico mais citado.

E é nesse cenário que postar uma mensagem repleta de clichês, com enfoque em estereótipos femininos, esquecendo-se de um debate tão atual como o empoderamento, é dar um tiro no pé, como ocorreu ano passado com a homenagem feita pelo Sport Clube Internacional – o Inter , e com a Prefeitura de Porto Alegre e neste ano com a Saraiva, cuja promoção está sendo bombardeada na página. Usar esse tipo de comunicação ultrapassada gera polêmica e resultados negativos. Ou, na MELHOR das hipóteses, ninguém vai te notar.

#FicaDica As mensagens precisam ser pertinentes e criativas. Exaltar, enaltecer e apoiar a luta das mulheres. Fazer parte desta corrente. Formar opinião. Nesse sentido, algumas campanhas realizadas no Dia da Mulher do ano passado foram excepcionais e merecem ser destacadas.

É preciso ser coerente

Não adianta erguer a bandeira de uma causa que sua empresa não apóia na prática. É necessário ser honesto e agir segundo o que, de fato, defende. Lembre-se: nada que não seja verdadeiro se mantém (e o tiro pode sair pela culatra). Além disso, é ineficiente e até mesmo antiético promover sua marca usando movimentos sociais que não acredita. Então, em alguns casos, é melhor ficar calado.

Empodere a sua campanha

Indiscutível afirmar que investir em publicidade é importante. Mas hoje é preciso ir além e apostar em um trabalho profissional nas redes sociais, que conduza com estratégia, que tenha conhecimento do comportamento do consumidor e discernimento do seu posicionamento no mundo digital.

É bom frisar que precisa ser um profissional e não o “sobrinho esperto” de um amigo. Você pode até ter suas contas nas redes sociais alimentadas, mas terá bons resultados?

Portanto, todo cuidado é pouco. Lembre-se que as redes sociais são acompanhadas continuamente pelos usuários. Casos e crises é o que não faltam, ainda mais quando envolve a defesa de causas sociais importantes como o Dia da Mulher, o feminismo e sua mobilização.

 

Luciana Cecchini – Consultora de Comunicação, com experiência em comunicação corporativa e atendimento a cliente.

17 Comentários

  • Fabíola 08 / 03 / 2017

    Como sempre, arrasa! Ótimo!

    Responder

    • marcia 08 / 03 / 2017

      Olá Fabiola,

      Bom ter você no blog. Agradecemos o elogio para o post da Lu. Beijos

      Responder

  • Luciana Lourenço 08 / 03 / 2017

    Amei este posicionamento!!!

    Responder

    • marcia 08 / 03 / 2017

      oi Luciana,

      super importante essa dica da Lu, não? Abraços

      Responder

  • Bia Penha 08 / 03 / 2017

    Muito pertinente e inteligente seu texto! Vc faz projetos de comunicação só pra empresas ou também pra divulgar projetos pessoais como blogs, publicações… Obridada.

    Responder

    • marcia 08 / 03 / 2017

      Olá Bia,

      Atendemos todo tipo de cliente. Vou passar seu e-mail para a Luciana contatá-la.
      Abraços

      Responder

  • Kristal Moura 08 / 03 / 2017

    Excelente texto! Vale muito ser lido e refletido pelas empresas que só se preocupam com os fins, esquecendo-se dos impactos que suas propagandas podem ter.

    Responder

    • Luciana Cescchini 08 / 03 / 2017

      Obrigada Kristal! E muitas vezes demoram a perceber as consequências…

      Responder

  • Renata 08 / 03 / 2017

    Adorei a dica! Realmente as ferramentas das redes sociais vêm sendo usada por pessoas que não são profissionais. Vou segui-la! Sua estratégia profissional é motivadora! Parabéns!

    Responder

    • Luciana Cescchini 08 / 03 / 2017

      Sim Renata, mas um dia chegamos la. Com o dia a dia as marcas ainda aprendem.

      Responder

  • Ana 08 / 03 / 2017

    Adorei… lu. Parabenss…(;

    Responder

    • Luciana Cescchini 08 / 03 / 2017

      Valeu Ana!

      Responder

  • Tereza 08 / 03 / 2017

    Parabéns Luciana, pelo seu posicionamento, isto é colocar a mulher com toda a dignidade que merece.

    Responder

    • Luciana Cescchini 08 / 03 / 2017

      Obrigada Tereza. É isso mesmo.

      Responder

  • Érika Carvalho 09 / 03 / 2017

    Muito bom esse texto, adorei seu posicionamento! #ficaadica

    Responder

    • marcia 15 / 03 / 2017

      oi Érika,

      Agradecemos por ler o texto e comentar. Abraços

      Responder

  • Jorge Ney Esmeraldo 27 / 04 / 2017

    Faz-se necessário, que nos dias de hoje tenhamos total entendimento, compreensão e apreensão de que a relevância da mulher no mundo é tão importante e significativa, que, sem ela, além de não conseguirmos sair de dentro da caixa, nos prenderíamos, com tal força nas bordas da mesma, que a caixa não serviria nem para ser reciclada, já que o seu conteúdo se encontraria totalmente caolho e estereotipado.

    Responder


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *