Marketing de empatia: sua empresa pratica?

Empatia, do grego empatheia (paixão), segundo definições, é a capacidade de projetar a personalidade de alguém em um objeto, de forma que este se sinta representado e perceba que o outro tentou se colocar no lugar dele. Remete a criar identificação e criar relacionamento.

E o marketing de empatia? 

Já há algum tempo tem se falado do marketing de empatia. Esse tipo de marketing está muito próximo do que chamam de humanização da marca. É quando a marca olha e escuta de verdade o seu consumidor e preocupa-se em entregar valor e não só produto ou serviço.

E quais as formas de ouvir esse consumidor? As redes sociais, com enquetes, com posts que peçam a colaboração dele, quiz e outros meios que façam com que o consumidor se sinta ouvido.

 

Mas só pegar as informação não bastam para ter empatia

A empatia começa no momento em que sua comunicação de marca faz com que o consumidor se sinta representado por ela.

O livro Business Model Generation: inovação em modelos de negócios, traz, entre outras dicas, o Mapa da Empatia. É uma ferramenta visual, conforme vemos abaixo, que ajuda a descobrir o perfil do seu consumidor, definir persona e quais os passos que sua empresa deve adotar para desenvolver o marketing de empatia.

 

mapa da empatia

 

Os pilares do marketing de empatia

O mapa da empatia serve para ajudar a conhecer melhor os clientes, sejam eles novos, antigos, satisfeitos ou insatisfeitos e a partir dai criar sua estratégia de comunicação, desenvolver e aperfeiçoar seu produto ou serviços, criar canais de comunicação e ações.

Conforme a imagem anterior, as informações que devem pautar seu mapa de empatia devem ser trabalhadas em cima das principais perguntas:

    • O que ele vê? – como é o universo do seu cliente
    • O que ele escuta? – quais as informações que ele busca e considera relevante
    • O que ele pensa e sente? – o que o leva a consumir seu produto ou serviço, que representa para o universo dele
    • O que ele faz e fala? – qual seu comportamento comum dentro de seus grupos e universo
    • Quais são suas dores? – quais são suas dúvidas e receios
    • Quais são seus ganhos? – como ajudá-lo a superar suas dores e quais as possibilidades que podem surgir a partir dai.

Mas é preciso uma abordagem que lhe dê respostas reais para que a continuidade do seu processo de marketing de empatia seja aplicado com eficiência. Conforme citei no começo do post, você tem várias maneiras de aplicar esse mapa, redes sociais e pesquisa.

Para finalizar, quero indicar duas marcas que falam sobre isso, a Social Media Emotion da Tatti Maeda, e o Marketing de Gentileza da Laize Damasceno . Tente praticar na sua empresa.

Marcia Ceschini – Especialista em Gerenciamento de Marketing, Sócia e Consultora de Comunicação e Marketing Digital na Ceschini Consultoria, Professora da Pós Graduação nos cursos digitais do SENAC São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e Bauru, da Trevisan Escola de Négocios, USC – Universidade do Sagrado Coração – Bauru, Idealizadora e Gestora do Papos na Rede

Comentários


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *