Votuporanga não para de crescer e se modernizar

Por Guilherme Leite*

arezzo

Na quinta-feira da última semana, 24/10, a cidade de Votuporanga protagonizou um grande evento para celebrar o lançamento comercial de um Shopping Center na cidade. Artistas, deputados, personalidades e responsáveis por grandes franquias fizeram-se presentes em uma noite de pompa e estilo, assinada pelo grupo SG Participações, quer articula há mais de um ano a construção do espaço e tem previsão de inauguração do empreendimento para aproximadamente daqui mais um ano.

No dia anterior, 23/10, em um galeria moderna, no centro da cidade, foi inaugurada a franquia de uma das mais famosas lojas de calçados do país, a Arezzo, que também fez bonito na recepção “intimée” às mulheres e imprensa local, avisando que chegou para ficar.

Liderada pelo casal Hérica Dalto Pizarro e Christian Pardo Pizarro, que entende de varejo há muito tempo, a Arezzo Votuporanga, conta com o “know-how” de quem lidera a franquia em Catanduva, além de uma multimarca e uma ótica, e chegando a nossa cidade há pouco tempo, já se sente bem acolhido. “Inauguramos a loja há menos de uma semana e estamos surpreendidos não só com a receptividade em relação às vendas, mas também com o calor humano dos votuporanguenses, nós fomos muito bem recebidos por todos, desde a nossa arquiteta, à empresa que cuidou do nosso coquetel de lançamento até as pessoas que já nos convidam para jantares”, comenta Hérica.

Hérica ainda me contou que o estudo de viabilidade para a abertura da loja na cidade durou em média 12 meses. A partir do momento em que escolheram o ponto físico da loja, a obra foi a parte mais rápida. Por se tratar de uma franquia, tudo passou pelo crivo da Arezzo, o que torna a tramitação até certo ponto burocrática, mas, muito mais assertiva, pois a marca tem 40 anos de estudo e conhecimento de mercado; e tudo que eles solicitam tem a sua razão e acaba sendo muito mais fácil de se colocar em prática.

Vale lembrar a velha e boa parábola do “Louco do Pântano” que saia a distribuir flechadas na floresta em todas as árvores e depois pintava os alvos em amarelo ao redor das flechas. Assim fica fácil, mas nem sempre garante o retorno esperado para tais investimentos. O ideal é fazer como os casos citados acima, análise de cenário e estudo de caso. Assim como no xadrez, é preciso pensar e estudar todas as possibilidades por um tempo considerável antes de se mexer as peças!

gui_menorGuilherme Leite –  Publicitário, especialista em Docência do Ensino Superior. Diretor Executivo da Verso e Prosaagência de marketing, comunicação e redes sociais, pioneira em social media na região noroeste paulista: (17) 3046 – 3713.
Escreve às terças-feiras, a coluna Cotidiano Empresarial, no Jornal A Cidade de Votuporanga. Apaixonado por marketing, reuniões e “japanese food”!

Comentários


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *