Não fazemos comunicação

Por Rayanna Moreira*

Todo dia, no fim da tarde, Seu João se reunia com os três amigos embaixo do pé da laranjeira, num terreno esquecido na esquina da sua rua. Com uma experiência de mais 65 anos, divertia-se muito com as partidas de dominó até a hora do jantar. Pela manhã, Seu João também fazia questão de comprar um jornal e lê-lo embaixo da laranjeira. Ali era tranquilo e muito ventilado, ideal para resenhar consigo mesmo sobre a vida. Não se sabia mais se a laranjeira pertencia ao Seu João ou se ele pertencia a ela. O certo era dizer que se pertenciam.

A rotina de Seu João foi substituída por ruídos de caminhões, retroescavadeiras e afins em um canteiro de obras. A laranjeira, que era praticamente um membro da família, foi arrancada dali. Seu João não sabia o que seria construído ali. Ninguém sabia. Também não sabiam da importância do espaço para o dia-a-dia de Seu João e de seus amigos.

Este é um dos milhares casos que acontecem em nossas esquinas. Construções que entram em nossas vidas e nem se preocupam em construir pontes conosco. Você deve estar se perguntando: mas, o que isso tem a ver com o tema aí em cima? Eu respondo: tudo. A primeira Publicidade acontece no canteiro de obras. Mas, o departamento de comunicação da empresa só está preocupado com os VTs com mega produções, os jingles, os anúncios de jornal, newsletters e demais meios. O simples fato de tornar o Seu João o advogado da marca e da imagem é algo impensável.  Está aí a comunicação que ninguém vê ou não quer ver.  

Não fazemos aquela comunicação que pode mudar as ações e direções de determinado negócio; que junta a tia da limpeza com o presidente; que gera relacionamento com os empregados, distribuidores, revendedores, fornecedores e pessoas que serão afetadas pelo negócio. Só fazemos mais do mesmo. Não construímos pontes com nossos stakeholders para que eles moldem nossa reputação e credibilidade. Elementos fundamentais nos momentos de crises. Estamos longe de fazer comunicação? Não estamos! Somos apenas preguiçosos com cabeças quadradas. Portadores da filosofia de que fazer comunicação é perder tempo e dinheiro.

Já dizia George Bernard Shaw: “o problema da comunicação é a ilusão de que ela foi bem entendida“.

RayannaRayanna Moreira– Publicitária e aspirante a Social Media. Uma protetora das mídias sociais indefesas.
 

Comentários


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *