Eles são o futuro!

Por Fernanda Silvestre *

Sabia que existe um concurso internacional reunindo o que há de melhor da mídia social de diversos países?

Um concurso que para cada região linguística, dez perfis na rede social foram selecionados para participar da votação online, onde os próprios usuários escolhem a melhor pessoa a seguir no Twitter, no Facebook e em outras redes? É o caso atualmente do The Bobs, concurso internacional da Deutsche Welle que premia o melhor do ativismo online em 14 línguas.

Aqui no Brasil a disputa está acirrada: entre os concorrentes da língua portuguesa, estão uma menina de 13 anos e um rapaz de 17 que se revezam no primeiro e no segundo lugar. Estranho não?

Esses dois nada mais são que Isadora Faber, a catarinense autora da página “Diário de Classe na qual conta os problemas da escola pública que frequenta e que são recorrentes a muitas outras escolas no Brasil e conta com 615,167 curtidores que compartilham e curtem e comentam seus posts. E João Pedro C. Motta, também chamado de “OficialJoao” nas redes sociais, outro fenômeno da internet, porque aos 17 anos, ele já é um “velho conhecido” na mídia social brasileira, realizando palestras em todo o país. E recentemente criou a Plaay, uma startup para ouvir música online por streaming.

E eles não são exceções, a maioria dos jovens brasileiros estão nas redes sociais não atuando passivamente ao receber conteúdos de outras páginas, mas interagindo com eles e criando novos conteúdo que hora ou outra acabam virando memes, e resultando às vezes em dor de cabeça para empresas.

O que cabe nos pensar disto tudo é: estamos dando atenção necessária a essa parcela da população? Nossos planos e conteúdos tem se orientado para os gostos e comportamentos dessa geração? Entendemos bem dela? Não estamos mais com tempo de esperar, de deixarmos pra depois. O poder de compra pode não estar na mãos deles por enquanto, mas eles influenciam pais, muito mais do que já fomos capazes de influenciar um dia. Seja para aquisição de produtos para si, seja na aquisição de produtos que seus pais desejem, porque são consultados sempre na hora de uma compra de um eletrônico, por exemplo.

Quem ainda não dedicou umas horas de estudo deste público, fica a dica, é hora de começar. Ainda porque já já o mercado é deles! E o mundo está de olho! A Deutsche Welle está aí pra provar.

E pra terminar, esse vídeo um tanto quanto assustador, pra refletirmos:

nann-150x150Fernanda SilvestreGeek 24h, social media planner & coolhunting, ARGólotra especialista em @foursquare e idealizadora do @foursquarers – homo sumo: nihil humani a me alienum puto!

2 Comentários

  • Marina Shulby 03 / 05 / 2013

    Ótimo post Fernanda! Como sabemos o futuro é logo ali, não podemos ignorar esse público, que já está causando e ainda tem muito pela frente. Temos que nos relacionar e rápido! Assunto super relevante e atual! Parabéns!

    Responder

    • Fernanda Silvestre 04 / 05 / 2013

      Obrigada Marina!

      É realmente um público que precisa ser melhor entendido desde já!

      Abraços!

      Responder


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *