Muito Profissional ou Multiprofissional? Eis a questão

Por Rayanna Moreira*

Cada dia mais nos deparamos com esse variado tipo de profissionais: O que só faz uma coisa e a executa com excelência, e o que desenvolve várias habilidades e as faz pela metade.

É preciso esclarecer que, no início da carreira, como estagiário, é importante ter experiência em todos os departamentos ao qual você será colaborador. Eu, por exemplo, quando iniciei em agência, vivi um pouco de cada departamento, do financeiro à criação. Absorver todo o conhecimento e networking é necessário para o progresso de sua vida profissional. O desafio é não permitir que isso se torne um carma para a vida toda. O mercado mesquinho e capitalista nos quer manter assim: trabalhando muito, por 5 pessoas e ganhar pouco, com custo de assistente.

O mercado nos faz engolir e aceitar o mal da Síndrome do Pato. O profissional que nada, voa e corre,porém,  não desenvolveu primazia em nenhuma delas. Nós nos acostumamos a ser assim (não deveríamos) e a reclamar que não somos recompensados justamente. O comodismo cria uma tarja que nos impede de ver  que isso só prejudica a nós. Com o tempo você vai perceber que fez de um tudo. Mas, não fez nada que pudesse ser relevantemente lembrado. Engana-se quem pensa que ser multiprofissional eternamente agregará algo para si ou para empresa. A premissa de que a mediocridade dá lucro não deve ser a base da pirâmide de ninguém.

A ocupação com várias coisas pequenas o impedirá de ver as grandes, de ser grande. Enquanto as empresas e os profissionais tiverem essa visão, continuaremos a aumentar o rebanho de colaboradores medíocres. Aqueles que fazem tudo “nas coxas” e querem ver/ter sucesso e serem reconhecidos.

Diferencie-se. Procure ser o melhor e o mais preparado. Seja referência. Queira ser lembrado por algo e não apenas o salvador da pátria. E acima de qualquer coisa, seja profissional. Muito profissional.

Rayanna Moreira – Publicitária e aspirante a Social Media. Uma protetora das mídias sociais indefesas.

7 Comentários

  • Roberta Aguiar 17 / 10 / 2012

    Muito bem Rayanna, em 10 anos de profissão nunca senti tanto orgulho de alguém como estou sentido agora.
    Ser o melhor não deve ser meta de nenhum profissional, deve ser Obrigação. Eu li em algum livro que pessoas perseverantes costumam ser mais bem-sucedidas do que as inteligentes. Perseverança é um dos ingredientes do sucesso, inteligência nunca esteve entre os principais. Tudo que você precisa é ser dedicado e estar disposto a aprender.

    Responder

    • marcia 17 / 10 / 2012

      Olá Roberta

      Agradecemos seu elogio à Rayanna. Realmente é uma nova profissional de destaque e perseverante.
      Abraços

      Responder

  • Rayanna Moreira 18 / 10 / 2012

    Roberta, muito obrigada pelo elogio. É isso aí: perseverança sempre. Tenho orgulho de ter trabalhado com você. :**

    Responder

  • Rayanna Moreira 18 / 10 / 2012

    Marcia, infinitos agradecimentos pela oportunidade e por acreditar e dar espaço para as pessoas. Você é mestre! 🙂

    Responder

  • André Calheiros 18 / 10 / 2012

    Parabéns pelo cuidado com que escrevestes sobre um assunto tão delicado, Rayanna. Conhecer diversos departamentos e mesmo atuar neles é muito válido, porém, ninguém pode perder o foco de sua carreira. Excelente!

    Responder

    • marcia 18 / 10 / 2012

      Olá André,

      Agradecemos o comentário. Não perder o foco é exatamente o ponto.
      Abraços

      Responder

    • Rayanna Moreira 22 / 11 / 2012

      Obrigada pelo comentário, André. Foco é tudo! :**

      Responder


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *