O usuário e o fenômeno da segunda tela

Pesquisa realizada em março deste ano pelo IAB e Comscore sobre hábitos de consumo de mídia no Brasil mostra que já somos 80 milhões de brasileiros conectados.

São várias as informações coletadas na pesquisa,  desde o tempo que os usuários ficam na internet, o que visitam em tempos livres, divisão de faixa etária, equipamentos, tipos de anúncios e reações frente os anúncios online.

Neste post vamos nos ater ao hábito de ver televisão e navegar na internet. 61% dos entrevistados fazem isso com uma frequência cada vez maior.  Isso reforça que a Teoria da Segunda Tela é um comportamento real.

O hábito de consumir TV de maneira social e compartilhar com sua audiência nas redes sociais é um fenômeno característico dessa época de conexão total através das redes sociais.

São os usuários e suas maneiras de consumir informação que tem mudado o desenvolvimento e propiciado a inovação e evolução dos equipamentos eletro eletrônicos.

Mas as mudanças não acontecem só na parte tecnológica. Esse movimento também impacta na programação. O telespectador pode conseguir não só dicas sobre o episódio que está assistindo na tela grande como através de celulares, tablets e compartilhar esse entretenimento com todos que o seguem.

Isso se transforma não só em uma oferta de programas  crossmedia, como em novas formas e possibilidades de anúncios interativos. É o futuro caminhando cada vez mais próximo da tecnologia de informação.

5 Comentários

  • Raffael Martins 16 / 05 / 2012

    Márcia, o bacana é que mesmo sem querer a realidade é aumentada e a TV interativa.

    Responder

    • marcia 16 / 05 / 2012

      Olá Raffael,

      pois é e tende a melhorar ainda mais com a chamada TV inteligente.
      Vem muita coisa nova e oportunidades por ai.
      Obrigada por comentar.
      Abraços

      Responder

  • marcos 14 / 05 / 2013

    O qué exatamente “segunda tela” ?

    Responder

    • marcia 14 / 05 / 2013

      Marcos,

      Inicialmente está ligado ao fato das pessoas assistirem televisão e utilizarem celulares ou tablets compartilhando o que veem com seus seguidores. Mas o fenômeno em sí, resumidamente é o desdobramento da nova forma de se fazer TV e explorar comercialmente uma série, por exemplo. A pessoa assiste sua série e por aplicativos no celular ou tablet tem acesso a pistas do seriado, ao figurino dos atores ou produtos em cena.
      Esperamos ter ajudado.
      Marcia

      Responder


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *