Toda a rede é fonte de informação: Estabeleça diálogos!

Por Gustavo Ferreira*

 “Com a web 2.0, e a mudança do foco da publicação para a participação, passou-se a valorizar cada vez mais os espaços para interação mútua: o diálogo, o trabalho cooperativo, a construção coletiva do comum”  –  Alex Primo, “Para entender a internet”, pag. 22

O diálogo é um ponto essencial para o trabalho de um comunicador, principalmente atuando com as ‘novas’ mídias digitais. E para que isso seja pensado da melhor forma é necessário estar atento à movimentação dos usuários diante desses canais.

Este processo exige cuidado e propicia (quando bem compreendido e explorado) a construção de um relacionamento sólido, seja ele um relacionamento virtual ou presencial. Quando eu falo e você ouve e fala também, e analisamos juntos caminhos e propostas para dar continuidade ao que conversamos, o conteúdo é enriquecido e pode ser disseminado respeitando limitações, crenças e interesses. Isso é diálogo.
Um fenômeno baseado em diálogo e que ganha força e naturalidade a cada dia é a TV Social. Mas o que é isso?

Milhares/Milhões de internautas assistindo a seus programas prediletos na televisão comentam entre si os acontecimentos, trocam ideias, criam conteúdos e recriam histórias que ganham notoriedade para a comunidade da qual participam.

Enquanto a sociedade grita por personalização e pede por segmentação de conteúdo, essas mentes criativas que compartilham a audiência geram novas ideias em seus Tumblrs, Twitters, Blogs, Facebooks, Youtubes e em tantos outros canais, oferecendo para sua comunidade seu ponto de vista (e de tantos outros milhares de amigos virtuais) sobre o conteúdo consumido, entregando de forma específica e para um público específico, entretenimento E informação.  

O público quer cada dia mais ter informações de contexto global, estar atualizado e ficar por dentro de tudo, mas também não dispensa que as informações referentes à sua realidade, sua região e sua comunidade sejam detalhadas, investigadas e compartilhadas com pessoas que pensam como ele.

A pergunta que fica é: Como as marcas e veículos podem personalizar e segmentar sem tirar a qualidade da informação na era da velocidade? O contexto é a resposta! Conteúdo contextualizado gera tráfego, relevância e relacionamento.

Cabe a nós comunicadores pensarmos sobre isso, nos debruçarmos sobre os conteúdos, estudarmos o comportamento do público, nos mantermos informados e interagir com as pessoas para agregar qualidade à nossa visão dos fatos e à forma como disseminaremos essas informações.

Toda a rede hoje é fonte de informação. Não subestime as opiniões das pessoas. Mas saiba qualificá-las e categorizá-las e isso fará a diferença na hora de se comunicar de forma assertiva com seu público.

Gustavo Ferreira  – Relações Públicas 2.0, Social Media na Triata Brasil, palestrante e pesquisador do comportamento humano nos meios de interação digital.

1 Comentário

  • Empreendedor Sustentável 30 / 01 / 2012

    Muito bom o artigo, pois o diálogo deve ser o foco de quem está na internet. A atenção gera respeito e relacionamentos duradouros. Quando se dá atenção às pessoas, elas, automaticamente, se sentem especiais e respeitadas. Não seria absurdo afirmar que relacionamento vem do respeito.

    Abraço! Muito bom seu artigo!

    Responder


Deixe uma resposta para Empreendedor Sustentável Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *