Muito além da Social Media…

Ainda se fala que estamos engatinhando quando se fala em Social Media e eu tenho que concordar; mas acredito que vamos continuar a engatinhar mesmo daqui dez anos, isso se não “morrermos” antes de inanição ao continuar como estamos.

O que quero dizer com isso? Por que estou dizendo isso? Chega uma fase na vida de uma criança que ela deixa de tomar apenas leite, e outros alimentos são introduzidos na alimentação ainda que em forma de papinha. Passado algum tempo, ela se torna capaz de comer coisas mais sólidas (como uns bifes que vemos por aí..rs).  Mas se essas fases não acontecerem e a criança tomar só leite, ela morre.

Da mesma forma nós precisamos de uma formação em Social Media que vá passando fases… começamos com o básico em redes sociais, descobrimos as ferramentas, aprendemos por imitação e vamos desenvolvendo o “feeling”. Depois começamos a entender melhor, fazer cursos, ir a palestras, ler todos os artigos possíveis e buscar o máximo de informações possíveis. Então passamos a fazer monitoramento, métricas, análises e buscar rumos. Surgem perguntas: por que as pessoas compartilham (ou por que não compartilham)? Por que isso é tendência? O que faço com isso? Para onde ir agora? E tudo isso ainda é o começo! Mas falta “comida” pra alimentar e conseguir sustentar essas pernas que precisam andar em vez de engatinhar. E ela precisa ser buscada.

Os artigos deixam de ter conteúdo suficiente, as palestras não dão respostas, e os colegas também não conseguem mais ajudar tanto… É aí que o profissional que não tiver disposição para buscar o que precisa, vai estagnar desanimar, enfraquecer e “morrer”. Mas quem sabe que pode ir além, vai buscar energia em outras fontes: vai aprender mais sobre marketing, sobre antropologia, psicologia social, administração, análise do discurso, semiótica, enfim… Uma série de áreas correlatas que dão maior sustento ao trabalho de analista, planner, gerente ou  qualquer que seja a nomenclatura que se dê.

Profissionais que ficarem sentados achando que esse conhecimento vai chegar de alguma forma osmótica, vão ficar pra trás e vão fazer feio em breve. Não é fácil tentar beber em fontes que são diferentes da nossa formação. É preciso uma força de vontade incrível pra aprender, mas com certeza vai valer muito a pena pra você, para a empresa que trabalha e para os clientes que atende.

Vamos usar os espaços que tivermos (como grupos no Facebook) para compartilhar essas descobertas, discutir temas relevantes, para de fato entendermos as pessoas e fazermos social media como devemos fazer.
Tem temas a sugerir? Use os comentários, precisamos de muita ajuda nesse caminho.


Fe
rnanda Silvestre

co-founder da @Tagsphere, geek, viciada em Foursquare, mestre em linguística e língua portuguesa, webwriter, social media lover (& analyst), ARGólotra, já fiz freelas na Ed. Abril (Superinteressante e Capricho), no jornal Estado RJ (online), AmBev, atualmente colaboradora dos blogs: @ceschiniconsult@publicitariossc e@GarotasCPBr – nanndaportfolio.tumblr.com / Quer saber mais?about.me/fernandasilvestre

4 Comentários

  • Empreendedor Sustentável 12 / 01 / 2012

    Sem dúvida alguma, o aprendizado é árduo, mas é prazeroso, ao mesmo tempo. Pois quem mexe com isso (Geração Y) adora novidades e adora usar as novas ferramentas que aparecem.

    O artigo é ótimo para estimular as pessoas a não ficarem para trás. Parabéns!

    Responder

  • Fernanda Silvestre 17 / 01 / 2012

    Muito obrigada!

    É tudo muito dinâmico e vivemos muito do superficial, precisamos ir mais fundo pra entender melhor as pessoas, trabalhamos com elas e para elas. Precisamos ter isso em mente se quisermos avançar em SM.

    Fique à vontade pra comentar sempre! É um prazer!

    Responder


Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *